29 janeiro 2012

SNS - Serviço Nacional Saúde

Tenho no meu Boletim de Vacinas a indicação que tenho de tomar a vacina do tétano no ano de 2012. Ora como estamos no ano propriamente dito, decidi ficar despachado desta obrigação.
Liguei na semana passada para marcar o dia e a senhora do posto médico de Odivelas respondeu: “Ligue na semana que vem. Neste momento não temos essa vacina em stock(!!!!!).” A crise, a crise…
Uma semana depois lá fui ao posto médico levar a injecção. E fui na sexta-feira porque eu fico sempre com muitas dores no dia seguinte (foi o caso) e com febre (desta vez safei-me), e assim evitei faltar ao trabalho.
Depois de levar “a pica” o enfermeiro disse-me:
“Quando puder tire fotocópias do Boletim de Vacinas e venha entregar neste piso para pudermos inserir na base de dados todas as vacinas que “apanhou” desde que nasceu.”
E eu fiquei a pensar: “Se o Boletim de Vacinas está neste momento nas mãos dele, porque é que ele não vai tirar as fotocópias à recepção?” Se estão com contenção de despesas, eu também estou. É que é já a seguir que vou lá levar as fotocópias. Ele que espere sentado.
O Serviço Nacional de Saúde está ao rubro.

16 janeiro 2012

Boa Zon

Para continuar a ter os 4 canais, sem ter de comprar o aparelho descodificador TDT, aderi à Zon através da campanha que estão a anunciar na TV. Aquele anúncio onde aparece um senhor de meia-idade com uma rapariga a dizer que é boa Zon! E é mesmo!
No espaço de um mês, já me ligaram umas 5.000 vezes a perguntar se está tudo bem – mais ou menos, já tive alguns percalços – e se recomendava a outras pessoas – sinceramente ainda não sei.
Hoje ligaram-me para o telemóvel (e do Porto, carago!) e o diálogo foi este:

Zon: Boa tarde, sou A.R., em que posso ser útil?
Eu: Desculpe?
Zon: Boa tarde, sou A.R., em que posso ser útil?
Eu: Em que pode ser útil? São vocês que me estão a ligar!!!
Zon: Ah, pois. Vejo que aderiu à Zon e queria saber se está tudo a funcionar bem até agora.
Eu: Sim…
Zon: Queria saber se a instalação foi grátis.
Eu: Sim… (foi essa a condição!)
Zon: Quer aderir ao Débito Directo?
Eu: Não. (nunca!!!)
Zon: Já tinha telefone fixo?
Eu: Não.
Zon: Quando ligarmos para si será este o seu número fixo?
Eu: Se eu não tinha nenhum...!!!
Zon: Claro, desculpe. Estaria interessado em aderir à Factura Electrónica?
Eu: Já aderi!!! Não vê na base de dados?
Zon: Não tenho acesso.
Eu: (F***-se…)
Zon: Sempre que quiser ligar para a Zon, utilize o nº 16990 pelo telefone fixo que é grátis.
Eu: Sim, eu sei. (Jura?)
Zon: Muito obrigado.
Eu: Boa tarde.

Cada vez mais me convenço que eu devo estar a participar num programa do tipo Apanhados e ainda ninguém me disse nada.

04 janeiro 2012

SAMSUNG GALAXY 550

Aviso: se alguém estiver interessado em comprar um smartphone da marca Samsung, modelo Galaxy 550, não gastem dinheiro com este produto. Tem defeito de fabrico.
No dia 21 de Dezembro fui comprar um telemóvel touch screen na loja Phone House do Odivelas Parque e a vendedora C.V. vendeu-me esse aparelho, dizendo maravilhas sobre o dito cujo.
No dia 28 de Dezembro fui lá reclamar porque o telemóvel não enviava sms simples (só texto). O vendedor L.F. disse que era defeito do software e trocou por outro da mesma marca, mas o problema persistiu, passados uns dias.
No dia 02 de Janeiro fui a uma loja TMN adquirir um novo cartão, na esperança de resolver o problema, pois pensei que o cartão fosse antigo e não tivesse capacidade para o smartphone. Não era. O problema continuou a aparecer. E fui alertado na loja da TMN que muita gente se estava a queixar deste Samsung.
No dia 03 de Janeiro voltei à Phone House para devolver o aparelho e, desta vez, escolhi um Nokia. Fiquei farto do Samsung Galaxy. O vendedor J.F. começou a olhar para o telemóvel, virou, revirou, limpou com um pano e “descobriu” uma mossa e disse-me: “não posso trocar porque tem este defeito. Vai ter de ficar com ele”.
“Como, disse eu?”. Comecei a exaltar-me e pedi o livro de reclamações quando J.F. disse que não podia resolver o meu problema porque tinha clientes para a atender.
“Eu sou um cliente e você tem de me atender!”- disse eu. E ele, com cara de mete nojo, lá deu o livro.
Entretanto, chega a gerente de loja. Ele explica o caso e ela diz para ele limpar a mossa com álcool. Ele limpou e a mossa DESAPARECEU!
A sorte dele foi a gerente ter chegado porque juro que ele esteve muito perto de levar um murro naquele focinho!

Moral da história: devemos sempre reclamar e nunca darmos por vencidos.

Nota importante: sou cliente da Phone House há muitos anos e não estou a pedir a ninguém que deixe de lá comprar o quer que seja. Eu tive azar, mas as pessoas de atendimento ao público devem procurar serem mais profissionais. Desfazem-se todos em sorrisos quando estão a vender, mas na hora de uma reclamação são de uma grande antipatia e tentam criar obstáculos onde eles não existem.