20 dezembro 2011

La Cobra

Em Espanha, um homem foi levantar dinheiro numa caixa de multibanco, mas não ganhou para o susto.
Não, não foi porque viu o saldo da conta. Juntamente com as notas, vinha um pequeno brinde: uma cobra!





Será um incentivo para as pessoas não levantarem dinheiro e começarem a poupar?

11 dezembro 2011

Escola - o ensino deste século

ESCOLA: s.f. estabelecimento público onde se educam indivíduos nas diferentes idades da sua formação, segundo planos sistemáticos; estabelecimento onde se ministra qualquer tipo de ensino; conjunto composto pelo professor e alunos.


No meu tempo, nos anos 80 do milénio passado, o significado para a palavra ESCOLA era: um lugar onde íamos aprender a ler e a escrever; devíamos respeitar e obedecer o professor porque ele tinha o direito e o dever de nos dar um raspanete e/ou dar uma palmada, se necessário; tínhamos de nos portar bem com os nossos colegas; e ter o melhor aproveitamento possível nos exames.

Nos tempos de hoje, nas primeiras décadas deste novo milénio, ir à ESCOLA significa: fazer o frete de ir para lá e tentar aprender alguma coisa; chamar palavrões ao professor e desrespeitá-lo porque é “giro”, porque senão os pais vão pedir satisfações e batem nos próprios professores (!), se necessário; os colegas agridem-se uns aos outros, filmam e põem no You Tube; se os alunos tiverem dúvidas nos exames, os pais são capazes de enviar um sms com a resposta certa para os meninos passarem.

Posso estar a ser radical, mas é o que se assiste hoje em dia.

Fiquei a saber que há pais e professores que vão sugerir ao Ministério de Educação que acabem com o 2º ciclo (5º e 6º do preparatório) e que alarguem o 1º ciclo em 6 anos. Objectivo: salvaguardar os alunos para que estes não fiquem chocados com a transição da primária para a preparatória – mais disciplinas, mais professores, outra escola.

Eu passei por essa fase de transição, os pais e professores destes alunos também e, que eu saiba, ninguém morreu!

Na minha visão, estão a fazer destas crianças “uns atados” de 1ª categoria.

05 dezembro 2011

Títulos sensacionalistas

Foram publicadas na edição de ontem do jornal “Correio da Manhã” duas notícias sequenciais. Quem lê as “gordas” até podia estar a pensar na mesmas pessoas do que eu.
Analisando os respectivos textos, reparamos que são outros famosos/conhecidos, igualmente com azares na vida.
O que um jornal sensacionalista não faz para “cativar” os seus leitores.