04 novembro 2010

Vô Carlos

Ontem tive mais um dia mau no trabalho. Surpresas desagradáveis.
Injustiças em termos monetários e na gestão da empresa/colaboradores, onde mais uma vez senti que a antiguidade não é um posto de trabalho. O que está a dar são as amizades, pessoas protegidas e humilhar os restantes descaradamente.
Fiquei revoltado. E o meu escape foi lembrar-me do meu falecido avô Carlos.
Como eu gostava daquele homem. Sempre bem disposto, bastante zangado quando lhe pisavam os calos e, acima de tudo, uma pessoa muito inteligente, apesar de ser analfabeto e de ser surdo desde os 19 anos. E por isso, a chacota da família que aproveitava destas “fraquezas” para gozar com ele. E que eu odiava!
E tinha uma excelente memória. Sabia de pormenores que não lembrava a ninguém.
É com muito orgulho que adquiri alguns traços da personalidade do meu avô.
Tudo isto deve ser muita coincidência. Se ele fosse vivo, hoje festejava mais um aniversário.
Parabéns Vô…

3 comentários:

  1. Temos mesmo de nos agarrar a memórias de pessoas boas e que de alguma forma foram heróis na nossa vida, para conseguirmos aturar esta gente louca.
    Beijos

    ResponderEliminar
  2. Existem momentos que ficam para todo o sempre... bjns
    Mana Isabel

    ResponderEliminar

Deixe o seu testemunho, pois o seu comentário é muito importante.

Comentários anonimos não serão aceites e nem publicados. Utilize a opção Nome/URL para deixar o seu nome.

Obrigado.